Presidente do Sindicato do Servidor Municipal pede socorro e ajuda aos vereadores sobre dissídio da categoria

Compartilhe

Com o auditório da Câmara completamente tomado pelo funcionalismo púlico municipal, a presidente do Sindicato da categoria em Taquaritinga, Maria Angélica Tiossi Boher, em sua participação na Tribuna da Câmara, fez um apelo aos vereadores, na sessão ordinária de segunda-feira (13), pedindo socorro e ajuda sobre o aumento de salário da classe trabalhadora, que deveria estar vigorando desde o mês de janeiro passado.

Como anteriormente havia sido feito um acordo entre sindicato e prefeitura que o índice a ser aplicado nos salários dos funcionários públicos ocorreria somente a partir de abril, retroativo a janeiro, com a suspensão da gratificação a 588 funcionários, determinada pela Justiça, agora, mais do que nunca, o aumento precisa entrar em vigor, na folha de pagamento do mês de fevereiro, previsto para início de março.

Maria Angélica teve o apoio do vice-presidente da Federação e Sindicato dos Servidores Públicos Municipais do Estado de São Paulo (FESSPMESP), Araken André Prado Lunardi, que também fez uso da palavra, contribuindo, com sua experiência, num possível avanço nas negociações.

O índice do reajuste, acumulado nos últimos doze meses de 2016 é de 6,58%, porém, de acordo com a presidente do Sindicato, seria importante pleitear um aumento maior, e a possibilidade em contar com a ajuda dos vereadores, segundo ela, é de fundamental importância para sensibilizar o prefeito, a fim de que o mesmo agilize o processo do dissídio e coloque à disposição da Câmara, para que os vereadores possam votar com urgência.

Durante sua fala, intermediada com pronunciamentos de vários vereadores, todos favoráveis ao pedido proposto da presidente do Sindicato, Angélica foi muito aplaudida, sinal de que os funcionários estão mesmo imbuídos no firme propósito de acompanhar mais de perto as futuras negociações com a secretaria da Fazenda municipal.
Tão logo terminou a participação dos representantes sindicais na Tribuna, sobre as explicações, além do dissídio, também envolvendo gratificações e cartão-alimentação dos aposentados, a plateia deixou o prédio da Câmara, provavelmente satisfeita pelas considerações encontradas naquele momento de expectativa.

Antes, porém, do pronunciamento de Maria Angélica, o funcionário aposentado da Prefeitura, Edmilson “Pingo” Romano também usou a Tribuna da Câmara, relatando aos presentes, em rápidas pinceladas, o déficit financeiro gerado aos funcionários da ativa e aposentados anos últimos 12 anos.

Fonte: Portal O Defensor

Comentários